, , , , , , ,

Transformando eu em Nós!

Em um dos melhores bate papos que já tive com um executivo, o diretor de uma grande empresa confidenciou-me sua situação:

– Olha Caê, estou há mais de 20 anos nessa empresa. Comecei de baixo, como ajudante de produção, passei por Operador, Líder de turno, Especialista, Analista e muitas outras funções até chegar ao cargo de Diretor.

– Os anos foram bem generosos comigo.

– Obtive muitas conquistas em minha vida pessoal e profissional. Por diversas vezes, senti-me poderoso. Porém, tenho me sentido muito sozinho e isolado, com inseguranças e medos.

– Às vezes, simplesmente necessito de um feedback, para saber se estou indo bem ou mal. O pior é não ter com quem dividir tudo isso. O Conselho da empresa só fala em metas e números. Fico horas e horas em reuniões improdutivas com outras diretorias. Meus 10 liderados diretos rodam o Brasil todo para garantir a excelência da execução.

– Abaixo deles, existem 200 pessoas que só vejo em convenções e reuniões quadrimestrais. Sinto-me como o Diretor apenas, e não uma figura que eles poderiam falar abertamente, sobre qualquer assunto.

– E como posso reverter esse quadro?

Então…..

Primeiro, parabenizei-lhe pela sinceridade e transparência em compartilhar sobre seu atual momento. Na sequência, baseado nos 5 diferentes times que qualquer pessoa que busca sucesso pode ter a seu favor, fiz-lhe algumas perguntas: Família

Qual papel sua família exerceu na sua vida e especificamente no seu desenvolvimento para chegar até aqui?

Quanto eles são importantes para você e como estão hoje inseridos em seu dia a dia?

Como você os valoriza?

Amigos

Qual o papel de seus amigos em sua jornada como líder?

Se as coisas não derem certo para você, com quais dos seus amigos você pode verdadeiramente contar?

Descreva um relacionamento que tem sido mutuamente benéfico para você por um longo período.

Descreva um relacionamento que não deu certo para você ou pelo qual você sente algum nível de responsabilidade. O que você faria de maneira diferente, se pudesse voltar no tempo?

O quanto eles são importantes para você e como estão hoje inseridos em seu dia a dia? Como você os valoriza?

Mentores

Ao longo de sua jornada como líder, quem foram seus mentores?

Quais foram os maiores aprendizados com eles?

Você desenvolveu um relacionamento de mão dupla?

O quanto eles são importantes para você e como estão inseridos hoje em seu dia a dia? Como você os valoriza?

Equipe Atual

Qual foi o melhor momento ou a maior conquista desse time?

Quais foram os maiores aprendizados que você teve trabalhando com eles?

Quais são as pessoas mais importantes para esse time e porque? Você já disse isso a eles?

Quais as pessoas que precisam de apoio, treinamento e desenvolvimento nesse time? De que forma você pode ajudá-los?

O quanto eles são importantes para você e como estão inseridos hoje em seu dia a dia? Como você os valoriza?

Membros do Conselho

Qual o tipo de pessoa que você gostaria de contar em seu conselho pessoal? Cite 5 pessoas que estariam nesse conselho.

Quais dessas pessoas você possui um relacionamento de mão dupla hoje? O que elas podem trazer de aprendizados em sua jornada?

O quanto eles são importantes para você e como estão inseridos hoje em seu dia a dia? Como você os valoriza?

Após fazer todas essas perguntas para o executivo, resumi em uma só pergunta:

As pessoas se isolaram de você ou você foi quem se afastou delas?

Existe um livro que o tema já fala por si: Ninguém faz Sucesso Sozinho!

Michael Jordan diz em sua biografia que cada arremesso nos segundos finais do jogo não era apenas realizado através de suas mãos.
Cada cesta era a realização de 10 mãos, cada uma com seu papel, defendendo, armando, pegando rebotes, para proporcioná-lo a oportunidade de fazer o seu melhor, e no final era isso que decidia o jogo.
Na família Schurmann, trabalhar os diferentes grupos de pessoas como citei acima era fundamental.
Cada um possuía responsabilidade sobre seu importante papel em variados cenários, deixando como o maior legado o de fazer com que um grupo de pessoas comuns construísse algo extraordinário, dando a volta ao mundo dentro de um veleiro. Sozinho, nenhum deles conseguiria.
Pense em como você pode transformar de fato o “Eu” em “Nós”.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *