, , , , , , , , ,

Duvide de seus planos, mas não duvide de sua Paixão!

Duvide de seus planos, mas não duvide de sua Paixão!

Você já parou para pensar no que uma pessoa apaixonada é capaz de fazer?

A paixão cria fogo, logo é algo incomum. Ela gera energia suficiente deixando as pessoas mais energizadas. As pessoas apaixonadas assumem maiores riscos, encaram desafios que não encarariam normalmente, têm uma força e, principalmente, uma resiliência das quais elas não imaginam sua fonte, a não ser sua mais profunda paixão.

Numa aula de MBA, em 2005, quando Paulo Alvarenga (P.A.) abordou o tema “missão, visão e valores”: O que você quer para sua vida? Como você quer ser reconhecido pelas pessoas? Como você quer impactar o mundo? A cada nova provocação eu olhava para minha carreira e vida pessoal até então e via que não estava feliz, fazia parte de um grupo que buscava ter um emprego ao invés de fazer o que amava.

Estava entediado, frustrado, perdido mesmo e naquele dia descobri, após muitas provocações, minha mais nova paixão: desenvolver pessoas. Inspirar e despertar o sonho nas pessoas como o P.A. fizera comigo. Após aquela aula de MBA, uma paixão me ajudaria a enfrentar não só uma longa transição de carreira, mas entrar de vez em uma jornada estreita chamada caminho da felicidade.

Em um dos muitos episódios posteriores, estava quase sem dinheiro em casa e tive de ir a feira livre comprar batata, tomates e outras coisas pequenas, lembro-me que tinha que esperar a famosa hora da “Xepa” ou do famoso tudo por R$ 1.00, pois tinha apenas R$ 4,00 no bolso.

Imediatamente vinha a minha cabeça questionamentos sobre o que eu estava fazendo correndo atrás de um sonho de desenvolver pessoas, sendo que a cada dia a situação financeira apertava mais e mais. Eu ficava triste tendo de comprar 2 batatas, 3 tomates e assim por diante…. me questionando com Deus se estava no caminho certo, olhava para minha esposa que estava bancando e levando a casa nas costas enquanto eu corria atrás de minha paixão!

Qual o valor disso? Será que a missão paga a conta mesmo?

Por que tem que ser assim?

Isso era certo?

Era justo com ela?

Estávamos com uma filha pequena!

Em 2009, estava no meu primeiro ano na Crescimentum, bem no olho do furacão da crise financeira período no qual todos estavam apertando os cintos, e liguei várias vezes para ela chorando e dizendo que iria voltar para Mogi e retomar minha profissão de Professor.

Ela respondia que eu deveria seguir minha paixão de desenvolver pessoas, ela apostava em mim, dizia que tudo daria certo e que eu era sua bolsa de valores e em algum momento as coisas iriam acontecer.

Ela estava totalmente certa.

Eu segui meu coração!

Um estudo realizado ao longo de 20 anos, com 1.500 pessoas revelou algo impressionante:

Inicialmente o grupo fora dividido em A e B, A ficou com 83% dos participantes que estavam iniciando suas carreiras com base no conceito de ganhar dinheiro no presente para fazerem o que realmente gostassem no futuro.

O Grupo B, formado pelos outros 17% que escolheram sua trajetória profissional com base no que realmente os faria felizes no momento presente e o dinheiro seria uma consequência natural.

Ao final de 20 anos, o estudo chegou ao resultado impressionante de 101 milionários com condições de vida invejável, sucesso, reconhecimento e principalmente felicidade. O maior detalhe da pesquisa ficou em apenas um ponto:

DOS 101 MILIONÁRIOS, 100 ERAM DO GRUPO B!

Após ler esse estudo a pergunta que faço a você é:

Você tem paixão pelo que faz?

Em uma escala de 0 a 10, como está a sua paixão hoje pelo seu trabalho?

Pela sua vida pessoal?

Com base em suas respostas anteriores, o que você precisa fazer para chegar ao 10?

Se tiver Paixão com certeza terá mais chances de ir mais longe e atingir o auge da Felicidade!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *