, , , , , , , , ,

Basta uma Palavra

 

Você já parou para pensar sobre o poder de uma palavra? Exatamente neste momento, existem pessoas que estão assim como eu e você neste texto, refletindo sobre suas palavras. Para mim, autor, será que conseguirei agregar valor à sua vida através de minhas palavras? Para você, leitor, o que fará com suas palavras após a leitura? Mas porque palavras?

“As palavras são como moedas: uma pode valer por muitas, e muitas não valer por uma”. (Quevedo)

E quanto valem suas palavras?

Os antigos diziam que uma palavra bastava para selar acordos, contratos e destinos, sem a necessidade de assinaturas ou contratos formais. E hoje, com tantos recursos para garantir o cumprimento de acordos, observamos palavras diferentes de ações. Você deseja ter, de verdade, uma vida em que suas ações digam mais do que suas palavras? Ou prefere que suas palavras expliquem suas ações?

“As palavras verdadeiras não são agradáveis, e as agradáveis não são verdadeiras”. (Lao Tsé)

Em um mundo que cobramos transparência, honestidade e sinceridade através das palavras, existem duas reflexões-chave: você está preparado para ouvir as palavras dos outros com transparência, sinceridade, sem ser reativo? Os outros estão preparados para ouvir suas palavras? Em qual dessas situações você tem controle absoluto? Se você não tem controle sobre os outros, porque então exige que compreendam e pratiquem algo que você mesmo não faz ou está preparado para fazer?

Em minha carreira, certa vez ouvi de um Líder, após alguns feedbacks sinceros, a seguinte frase

– Você quer tapinha nas costas ou quer crescer?

Doeu muito. Esforcei-me para atingir um determinado resultado não conquistado, e foi muito indigesto ouvir aquilo. Internamente, meu sentimento era de revolta. Queria voar no pescoço dele. Refletindo melhor, percebi que, na verdade, estava querendo terceirizar algo que era só meu. Considero aquele dia como um dia igual ao de quando colocamos o fermento na massa de pão. Mesmo com o fermento, é preciso respeitar a ordem dos ingredientes, esticar, amassar a massa e principalmente respeitar o tempo do crescimento.

“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. (Desconhecido)

Muitas vezes, a flecha lançada são nossas conclusões precipitadas, julgamentos parciais, dizendo aos outros o que não gostaríamos que dissessem sobre nós mesmos. Antes do disparo, reflita sobre onde, como e para quem está sendo direcionada essa flechada.

Acredito que um dos maiores desafios do ser humano será sempre o uso das palavras na comunicação. Certamente, já conheceu pessoas que dão a volta ao mundo para chegar a uma conclusão, ou simplesmente não conseguem se fazer entender por não terem as melhores palavras. Isso acontece tanto na vida pessoal quanto na profissional. Existem ainda pessoas que usam aquela frase clássica:

– Eu já te expliquei 10 vezes! Não é possível, quer que eu desenhe?

Um ponto a refletir é que, se você explicou sempre da mesma forma, sem se preocupar em entender sobre a pessoa a sua frente, que ela pode ser diferente de você, não adianta explicar nem 1000 vezes! O resultado sempre será o mesmo.

O uso incorreto, no tempo errado ou com a pessoa errada, gera não só ruídos, mas pode também gerar guerras. Acredite, basta uma palavra para você Motivar, Desmotivar, Aconselhar, Treinar, Desenvolver, Criar, Ajudar, Acelerar, Ensinar, Engajar, Perdoar e principalmente Amar.

E ainda, se após ler esse texto, não tiver clareza do que deve e para quem deve falar, segue uma dica:

“A palavra é prata, o silêncio é ouro.” (Provérbio Chinês)

, , ,

O Verdadeiro Tesouro dentro do Baú!

O Verdadeiro Tesouro dentro do Baú!

No último dia 27 de abril, durante a entrega do troféu imprensa no SBT, Carlos Nascimento, um dos maiores âncoras dentro do jornalismo no Brasil, juntamente com seu Líder Silvio Santos, trouxeram 7 importantes lições sobre Liderança:

1.  As pessoas precisam se sentir importantes na equipe

Silvio destacou que ele não só é extremamente competente como muito querido pelos colegas e público que torcem para sua volta após sua luta contra o câncer.

A importância de um liderado é plenamente destacada nos momentos em que ele bate metas, mas se por um acaso você quer que seu liderado esteja de fato comprometido com seu time, esteja ao lado dele no momento de maior dificuldade.

Todas as pessoas merecem saber onde estão, como podem melhorar e que podem contar com seu Líder.

2.  As pessoas precisam estar bem para fazer o seu melhor

O contrato do jornalista venceu durante sua luta contra o câncer. Porém, para espanto de todos e do próprio Nascimento, 2 meses antes do vencimento, um dos funcionários de Silvio Santos foi ter com ele com um contrato novo, pedindo sua assinatura. Levou um recado direto de Silvio para que Nascimento se cuidasse, que levasse o tempo necessário para sua plena recuperação e que a emissora estava à sua espera.

3.  As pessoas devem focar no que podem fazer hoje

Trabalhe o Foco de seu liderado, mostrando que o que ele pode fazer no momento é diferente do que ele pode fazer em uma vida completa. Focar no que pode ser feito hoje garante que o primeiro passo seja dado, assim como uma casa tem uma ordem correta no caminho de sua construção. Se o pintor, pedreiro, eletricista e encanador entrassem ao mesmo tempo para fazer seu trabalho, a casa não sairia do papel.

4.  Limpar as lentes da visão faz parte do crescimento

Algumas pessoas possuem em suas vidas episódios que as fazem refletir sobre o estágio em que está.

Nascimento destacou que a luta contra o câncer trouxe também uma visão melhor sobre suas atitudes e comportamentos, e o verdadeiro valor das pessoas ao seu redor.

Como estão suas lentes hoje? Tem algo que não está sendo visto ou valorizado como deveria?

5.  É um dever da empresa cuidar do funcionário

Para encurtar a conversa, se uma empresa vive de resultados, quem traz os resultados se não as pessoas? Silvio disse ao jornalista que é uma obrigação cuidar bem dos funcionários.

É mais do que comprovado que o ser humano não possui limites quando quer. Quem coloca limites naquilo que vai fazer, coloca automaticamente naquilo que pode fazer.

Valorizar as pessoas é garantir os resultados!

Silvio, em 1975, custeou todas as despesas médicas do idealizador da Praça da Alegria, Manoel da Nóbrega. Silvio disse a Carlos Alberto de Nóbrega que Manoel da Nóbrega era como seu pai em São Paulo, e aquilo que o dinheiro pudesse comprar naquele momento para ajudar seu pai a se restabelecer seria comprado. Infelizmente, Manoel faleceu 8 meses depois.

Onde está escrito que é obrigação da empresa? Se está escrito, porque nos espantamos ainda com atitudes como as de Silvio e outros Líderes?

Lembre-se de que todo líder deixa uma marca em sua equipe. Que tipo de marca você anda deixando por aí?

6.  O valor da gratidão é intangível

Carlos Alberto, em uma entrevista emocionada, disse que não saiu do SBT para ganhar mais ou para ter mais sucesso devido a ter sempre a consciência tranquila de que estava no lugar certo, tendo como Líder a pessoa certa.

Silvio Santos, por outro lado, disse por telefone a Carlos Alberto que, mesmo morando em São Paulo e Carlos no Rio de Janeiro, fisicamente distantes, seu Pai Manoel da Nóbrega e tudo o que ele representou na vida de Silvio estariam sempre com ele.

Quais são os episódios de gratidão e quem são os mentores merecedores desse nobre sentimento hoje em sua vida?

7.  As pessoas precisam “sair da cama”

Silvio em sua última frase disse:

– “Espero que você volte logo para passar as festas de final de ano com a família SBT. Não fique na cama de pijama porque na cama não acontece nada!”

Desafie-se, saia da inércia, abra seu baú e veja que você tem muito mais ali de dentro do que a esperar daqui de fora.

Sucesso!

,

De boas intenções, o mundo está mais do que cheio!

De boas intenções, o mundo está mais do que cheio!

Imagine Hitler e Jesus Cristo sentados cada um em uma cadeira, lado a lado, absolutamente em silêncio. Na sua opinião, apenas observando essa cena, quem é o lado bom e o lado ruim? Não use a história como parâmetro para definição, muito menos sua opinião já pré formatada sobre os dois. Apenas olhando como uma fotografia, é possível saber mesmo quem é ou não do bem ou do mal?

Já falei em artigos anteriores que o que define a forma como uma pessoa é eternizada, reconhecida, copiada e muitas vezes rotulada pelas outras são suas atitudes, seus comportamentos! Os dois na cadeira são iguais, mas ao saírem da cadeira, pode-se inferir que teriam comportamentos que os caracterizariam e os qualificariam para julgarmos o bem ou o mal.

Seu melhor cartão de visitas são seus comportamentos!

Não só seus comportamentos mas a origem deles muitas vezes é diferente de seu produto final:

Um Líder, vendo seu liderado atolado de trabalho, pensa que, ao delegar mais tarefas, poderá sobrecarregá-lo. Num período específico, passa a delegar tarefas a outros liderados mais juniors, a fim de treiná-los e aliviar a carga de seu braço direito. Até aí, sem problema algum, até fazermos a análise de que essas tarefas delegadas aos outros sempre foram delegadas a seu braço direito. Devido à correria do dia a dia, o líder não teve tempo de explicar a situação a seu melhor liderado e seguiu dessa forma, não por uma mas três semanas.

A pergunta que fica é o que esse braço direito pode pensar do seu Líder durante essas 3 semanas?

– Será que ele já não confia mais em mim? Será que não entreguei algo direito? Estou sendo boicotado?

Na cabeça do Líder, porém, era o melhor das intenções. Seu melhor liderado estava se desafogando e ficando mais tranqüilo, e os mais novos estavam aprendendo coisas novas.

Em um outro cenário, um marido apaixonado, em sua tarde de folga, vai ao supermercado com uma lista enorme elaborada por sua esposa, com a intenção de poupá-la de ficar horas em filas intermináveis. Ele segue rigidamente a lista até que se depara com algumas promoções e produtos vendidos no atacado, e acaba comprando a mais do que deveria. Após cinco horas de supermercados, filas, carrinhos, trânsito e fome, o marido chega em casa e sobe com toda aquela compra. Sua esposa, que cuida não só da lista como também da planilha de controle das contas da casa, recebe-lhe da seguinte forma:

        – Nossa amor, comprou o mercado inteiro? Quanto você gastou em tudo isso? Não é possível que você tenha comprado mais queijo? Vamos guardar onde? Na sua cabeça né!!!! Pelo amor de Deus eu faço uma lista e você não segue? Você é descontrolado! Para que serve a lista então?

        O marido, todo desconcertado, esperando um agradecimento, acaba levando um balde de água fria. Fica mega chateado, com raiva, e pensa que na verdade sua esposa não merece o marido que tem! Sua intenções eram tão positivas, queria poupá-la de horas intermináveis de mercado e de ter a geladeira cheia. É isso que recebe em troca?

        Nos dois casos, encontramos a semelhança em uma ótima intenção. Porém, não houve um comportamento adequado. Porque, tanto no primeiro caso quando no segundo, o liderado e o marido sentiram-se mal e pensaram o pior de seus respectivos líder e esposa? O problema é a FORMA!

        Uma câmera de vídeo não é capaz de interpretar, mas de apenas gravar as cenas. Nos dois casos, ao gravarmos as duas cenas, o que de fato seria gravado? As intenções ou a Forma?

Quando olhamos para qualquer pessoa, até para Hitler ou Jesus Cristo, é impossível diferenciar quem é bom ou quem é mal. Mas, como gosto de dizer em minhas palestras, o que a câmera grava através dos comportamentos das pessoas, revela de fato quem cada um é! Ou melhor, é percebido pelo mundo ao seu redor. Afinal todos possuem boas intenções!

, , , , ,

Aceite-se, mude e brilhe!

Aceite-se, mude e brilhe!

Dias atrás, um executivo desempregado acordou e, antes de sair da cama, refletiu:

– Será que não sou bom o suficiente para conseguir algum trabalho? Andei tanto, distribuí currículos, acionei contatos através de redes sociais, mas nada vingou. Será que meu currículo não estava bem formulado? Com certeza, devem existir currículos melhores do que o meu! Bom, vou dormir mais 5 minutos porque estou realmente muito cansado mas, pensando bem, dormir 5 minutos pode ser o tempo de levantar-me, arrumar-me e sair para procurar um novo trabalho. Vamos lá, hoje será diferente!

Ao tomar seu banho, aquele executivo pensou que merecia relaxar um pouco mais. Estendeu seu banho em 15 minutos, questionando-se o tempo todo o quanto deveria ter feito isso. No café, lamentou pelo presunto que tinha acabado e o pão que estava um pouco duro. Ao sair de casa, metrô lotado, novamente veio em sua mente o sentimento de revolta, crítica e questionamento sobre merecer passar por aquilo. A cada dia, os questionamentos só aumentavam:

– Mereço? Posso? Terei? Minha vida vai mudar? Sou bom o suficiente? Devo permitir-me acreditar que as coisas mudarão?

Esse é apenas um exemplo entre muitos. Ao olhar a fundo para a sociedade em que vivemos, encontraremos as respostas e muitas outras perguntas sobre o porquê é tão difícil nos aceitarmos.

A cada dia, novas literaturas surgem com a promessa da equipe perfeita, da família perfeita, do profissional extraordinário ou até das 10 dicas para o sucesso. Assistimos de camarote a ascensão de empresários, naquilo que fizeram para dar certo. Geralmente, não nos interessa as estórias dos que fracassaram. Sofremos por comparar nossas vidas, casamentos, equipes, empresas com uma visão perfeita e inatingível, propagada pelo céu de brigadeiro que existe em nossas mentes, mais do que na dura realidade.

Recentemente, conheci uma executiva que mudou sua maneira de se vestir para estar igual a todas as outras de seu departamento. Assim como um garoto do condomínio, que passou a torcer para outro time para agradar ao pai.

“Não tenho tempo suficiente”, “Não está bom o bastante” ou “Não estamos prontos”. O que de fato então leva milhões de pessoas a serem insatisfeitas e a buscarem freneticamente uma sensação de perfeição? Será que algum dia estaremos plenamente prontos e preparados? De fato essa perfeição existe? Ou tornamo-nos reféns de uma régua muito alta, inatingível e cruel? Seria o medo de ser uma pessoa comum, sem nenhuma contribuição ou atributo especial?

Nisso tudo, uma das certezas é que a coragem de encarar as suas vulnerabilidades, tomar atitudes de mudança comportamental e transformar aprendizados em ações, é um grande passo na mudança desse cenário.

Mas será que o preço de entrar em contato com isso tudo vale à pena?

Para responder a essa provocação, existem duas perguntas que não são fórmulas certas para o sucesso de todos, mas podem ser para o seu sucesso:

1) O que você ganha buscando uma perfeição inexistente, sofrendo pelas coisas que não tem, e lamentando-se pela sua vida de hoje?

2) O que você ganharia se assumisse que possui algumas imperfeições, assim como qualquer ser humano, e que pode brilhar simplesmente melhorando o que é necessário e potencializando o que já é bom?

Será mesmo que o mundo possui só coisas ruins?  Será que você não se faz de vítima olhando só para o lado ruim das coisas ao seu redor?

Aceite-se, mude e brilhe!

, , , ,

Você está perdendo o norte da sua CASA?

Você está perdendo o norte da sua CASA?

        Hoje em dia, mais comum do que podemos imaginar, existem Líderes Talentosos perdendo-se ou desviando-se de seus verdadeiros objetivos, de sua visão de futuro. Porém, existem sinais bem visíveis que, se não forem ignorados, poderiam evitar isso!

        – Quando rejeitam as críticas sinceras

Receber uma crítica sincera não significa concordar e baixar a cabeça, mas sim refletir sobre quais comportamentos esse líder teve para ser criticado dessa forma. Quando são criticados, muitas vezes dizem que são críticas isoladas, ou até perseguição de pessoas invejosas, tirando o foco do que realmente interessa.

        Quando cercam-se de defensores que só dizem o que querem ouvir

        Quem os contraria, automaticamente torna-se um alvo em potencial para futuro corte ou para a teoria da conspiração.

        – Quando as pessoas não os confrontam mais

Um dos maiores erros de um líder é subestimar a inteligência de seus liderados e achar que são menos capacitados do que são. As pessoas logo percebem como a banda toca e como o ambiente reage, e adaptam-se a ele. Passam a não confrontar seu líder pois sabem que ele não aceita ideias, muito menos críticas.
Com esse comportamento, não adianta cobrar dessa equipe elementos como comprometimento, engajamento, e assumir uma maior responsabilidade pelos resultados.
Lembre-se: as pessoas se comprometem com o mundo que ajudam a construir e tirar as pessoas desse processo é como colocar um navio sem leme ao mar.

        – Quando concentram-se na gratificação externa, ao invés da satisfação interior

Satisfação interior = Dinheiro no bolso + Status, comparado a outros executivos.
Um sábio em Liderança, Marco Fabossi, diz que “o Líder que não serve, não serve para ser líder”. Portanto, não é errado buscar as gratificações externas! Errado é buscar SÓ as gratificações externas!
Ninguém faz sucesso sozinho!

        – Quando são soberanos do Conhecimento

Perdem contato com a realidade, rejeitando a verdade de que precisam se desenvolver sempre com treinamentos e reciclagens. Assumem a posição de “soberanos do conhecimento”.
Reflita: o mundo muda, o mercado muda, sua empresa muda e, principalmente, você muda!

        – Quando atingem o topo, tornam-se paranoicos, acreditando que alguém sempre está tramando algo para derrubá-los

Eles acreditam que todos os que não concordam com eles, ou que conversam reservadamente pelos corredores, estão tramando algo contra eles. Ao surgir um problema, acabam considerando essas pessoas como bodes expiatórios, e procuram eliminá-las.

        – Por trás da bravura, existe insegurança
Batem na mesa ali, expõem o liderado aqui, na frente de todos, aumentam o tom de voz, dão as chamadas “carteiradas”, mostrando quem de fato manda no pedaço, demarcam o território. Por trás dessa bravura toda, existe a insegurança, ou ainda o medo.
Medo sim! De não terem mais o sucesso que julgam ter por direito, como faraós, ou de serem desmascarados de sua fragilidade como líderes. Já dizia um provérbio chinês: “Se você quer manter limpa a sua cidade, comece varrendo diante de sua casa”.
O “limpar a sua casa” é assumir suas fraquezas como líder, trabalhá-las e superá-las. Muitas vezes, não vai ser um processo fácil e muito menos indolor, muito pelo contrário. O processo de desenvolvimento e crescimento envolve ouvir o que você não quer ouvir para tornar-se quem você sempre soube que poderia ser.
Pode doer na hora, ou até durante algum tempo, mas lembre-se de que quem fala sinceramente com amor, se preocupa com você verdadeiramente, e na contramão disso, quem não fala, com certeza vai deixar você encontrar suas próprias respostas, que inicialmente podem parecer atalhos, mas que no final não levam aos melhores destinos.
Gratificações externas virão como consequência de um trabalho construído, somando a contribuição que você tenha para com a vida das pessoas.
Como Líder, não se esqueça de que você deixa uma marca em cada liderado. Antes de trazer mais pessoas para “dentro de sua casa”, prepare as que já estão lá.
Espero que as pessoas saiam “de sua casa” melhores do que quando entraram.

, , , ,

Seu “Desejo de Ego” é mais forte do que seu “Desejo de Alma”?

Seu “Desejo de Ego” é mais forte do que seu “Desejo de Alma”?

Cleber, teve um sonho que estava chegando ao Céu, e fez uma pergunta a Deus:

         – Deus, quem foi o executivo ou empresário mais bem sucedido e feliz de todos os tempos? Aquele que, sem dúvida nenhuma, teve a felicidade plena?

         – Filho, foi aquele rapaz ali!

         – Mas como, Senhor? – questionou Cleber. – Eu conheço aquele homem e ele não passou de um mentiroso! Falso! Gostava de levar vantagem em tudo! E ainda terminou sua vida morrendo de câncer. Como o Senhor explica isso?

Deus, então, começou sua explicação.

         – Marcos era um executivo da área de marketing, com muito talento. Porém, nunca estava contente com o que tinha. Angustiava-se constantemente e autoflagelava-se pelas conquistas dos colegas executivos, julgando ser mais merecedor do que eles. Percebia que roupas de grife, viagens internacionais, jantares em lugares sofisticados, carros esportivos e status passavam a ter cada dia mais importância para ele. Começou a usar atalhos, pular regras, passar por cima de pessoas e processos para atingir o que estava de fato como sua prioridade, o que podemos chamar “Desejo de Ego”.

Mesmo sendo levado pelos comportamentos provenientes do Desejo de Ego, é possível encontrar rancor, comparações, julgamentos e competições, pois as pessoas pensam somente em si mesmas, sem se importar com os outros.

Na contramão disso tudo, existe também o “Desejo de Alma” ou, na melhor definição, o que posso chamar de Propósito de Vida. Para facilitar, imagine um médico com o poder de transformar a vida das pessoas. O reconhecimento financeiro virá naturalmente. Será que é justo ele retribuir esse dom que veio de Deus, trabalhando apenas pelo dinheiro? Você, com certeza, tem conhecimento de médicos fantásticos, que são referência, trabalham por um propósito (Missão – Desejo de Alma), e que são recompensados financeiramente. E médicos que prescrevem uma receita sem ao menos olhar para o paciente (Desejo de Ego), mudando de hospital em hospital, clínica em clínica, sempre motivado pelo maior salário.

E Deus emendou:

         – Marcos tinha uma origem humilde. Veio de uma cidade de interior, e quando pequeno, seu maior sonho era o de ser um dos 3000 trabalhadores da única fábrica de refrescos de sua cidade. Tudo isso não era nada perto do que havia se tornado. Sonhando trabalhar um dia naquela fábrica, seria possível construir sua família, ajudar sua cidade, contribuir com sua comunidade e ajudar outros garotos a terem uma chance, assim como ele teve o estudo técnico para tornar-se alguém na vida.

E continuou:

         – Certo dia, Marcos tomou a decisão que mudou a sua vida. Sendo apresentado pelo Setor de Pesquisa de Novos Produtos o protótipo de um produto revolucionário, visualizou o potencial de lucro e apresentou a proposta em uma reunião de diretoria. Conservadora, a diretoria não aprovou o projeto de imediato, pedindo para aguardar por mais 3 meses. Marcos ficou indignado. Ligou imediatamente para o concorrente direto, marcou uma reunião, vendeu o segredo por 5x o valor do produto, e se tornou um sucesso nacional no ramo de refrescos. Causou um abalo tão grande que as operações na fábrica de sua cidade natal foram encerradas, causando 2.500 demissões. Apenas uma linha de águas permaneceu naquela unidade. Marcos sentiu-se poderoso. Literalmente deu a volta ao mundo, em jatos, iates, e de todas as formas que poderia alimentar seu próprio ego, até que uma leve complicação no estômago, num período de 5 meses, levou metade de seus recursos. Teve um câncer sem esperança de cura.  Em seu leito de morte, doou o restante de seus bens para o sindicato dos trabalhadores demitidos por sua causa, que haviam montado uma cooperativa e conseguido realocar boa parte dos colaboradores.

Cleber, questionando a Deus, disse:

         – Tá vendo! Como esse homem seria o executivo mais bem sucedido do mundo? Ele morreu!

Deus, respondendo sabiamente, disse:

         – Realmente ele seria o executivo mais bem sucedido do mundo se tivesse optado durante sua vida por seguir seu propósito ao invés de seu ego. E quanto à felicidade plena, ele a encontrou sim, mas somente após ter se arrependido e pedido perdão a todos a quem prejudicou genuinamente, garantindo assim sua entrada aqui no céu. Mas entenda uma coisa, cada escolha é sempre sua e cada caminho pode levar a um destino diferente. Tudo é permitido, mas nem tudo lhe convém.

         Reveja suas escolhas!

         Acorde, e faça de cada dia um dia extraordinário!

, , , , , , ,

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos.

Em uma Segunda Feira pela manhã em São Paulo;

Um motoboy tentava apressadamente passar entre os carros buzinando freneticamente enquanto alguns dos muitos motoristas observam a cena com o mesmo pensamento dizendo para si mesmos como o rapaz era maluco em pilotar daquela maneira!

No mesmo instante em outro ponto da cidade um rapaz tentava entrar em uma agência bancária e travava na porta giratória de segurança tendo de deixar seus pertences no guarda volumes antes de entrar na agência.

Até aí algo absolutamente normal, até que os objetos se esgotam e nada mais restava ao rapaz além de seu dinheiro, o boleto nas mãos, uma fila que não parava de aumentar compostas de pessoas querendo entrar no banco se entreolhando e em um ato de fúria, o mesmo tirou camisa, calça e sapatos, ficando de cueca  proferiu ao segurança:

-E agora? O que falta? Posso entrar?

O segurança e todas as pessoas mediante aquela situação constrangedora pensando que o rapaz era um desequilibrado ou um louco inconsequente chamou imediatamente  a polícia!

No final da manhã, em sua primeira reunião como analista pleno, o Jovem Kevin apresentou erroneamente alguns dados invertendo faturamento e fechamento causando uma reação explosiva em seu chefe:

– Kevin! Você tá testando nossa inteligência?  Isso é despreparo? Ou é burrice mesmo?

Observem que nos três casos existe a presença forte de algo que as pessoas abominam passar por elas mesmas, mas adora fazer outros passarem através de seus olhos, O JULGAMENTO!

JULGAMENTO: Vem do Latim Judicare ( Julgar ) formado por JUS ( Lei,Direito ) + DICERE ( Dizer, Falar ).

Eu fui criado baseado nos valores de que atire a primeira pedra quem não tenha seus pecados ( erros ), então, não julgues para não seres julgados!

Só que o interessante nisso tudo é que no processo para julgar o que as pessoas são, existe uma enorme diferença no que de fato é observado do que realmente é!   A personalidade não é o fator que nos condena e sim osCOMPORTAMENTOS.

Pense bem, se olhar agora para as situações de feedbacks dentro das empresas, o que muitas vezes é pontuado são as situações onde você foi grosso, evasivo, prolixo, mentiroso, incompetente, bom gerente, fora da curva, ou outros adjetivos tanto positivos quanto negativos etc.

Raramente é pontuado os COMPORTAMENTOS que realmente levaram as pessoas a pensarem tudo isso relatado acima e por isso muitas pessoas nem sabem por onde começarem um processo de mudança ou nem desejam mudar pois sentem-se julgadas.

Você gosta de sentir-se julgado?

Será que o motoqueiro era louco mesmo ou estava se comportando naquele momento  como um louco?

Será que o rapaz era um maníaco perigoso e iria roubar e explodir o banco ou teve seu momento de fúria através de alguns comportamentos nada convencionais?

Kevin possuía talento, jovem promissor, estudioso que na véspera teve a notícia do câncer de sua mãe e entrou totalmente nervoso na reunião, temendo falar que não daria conta para seu chefe optando erroneamente conduzir assim mesmo invertendo dados e cometendo erros que geralmente não cometeria em situações normais?

Pense que em todos os lugares existem câmeras tipo e que elas jamais irão filmar sua personalidade e interpretar o quanto sua essência é boa, o que será realmente gravado assim como em uma novela ou filme, é sua ação ou falta de ação pois o fato de não agir muitas vezes é a melhor ação.

Pense nisso!

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos.

, , ,

O Talento de Hoje não garante o sucesso do amanhã!

Um dos maiores mitos que o ser humano cria para si mesmo é que nem todos possuem talentos! Esqueça isso! Todos possuem talentos! Mas nem todos estão dispostos a pagar o preço para potencializá-los e ter o melhor deles.

Ray Charles, Michael Jordan, Senna, Oscar Schmidt, Steve Jobs, Bill Gates, Albert Einstein, Michelangelo, e muitos outros foram destaque em suas áreas de atuação. Mas será que somente o talento que cada um possuía foi o suficiente para ser o que foram? Eles tinham algo mais do que só talentos, e foram atrás disso!

Quando um ser humano coloca limites naquilo que vai fazer, automaticamente coloca também naquilo que pode fazer. Todos eles quebraram esses limites e foram em busca daquilo que ninguém acreditava que eles poderiam fazer! Muitos deles foram desacreditados por seus professores, técnicos, pais, e pessoas que até então eram suas referências.

Por que será que Michelangelo pintou o Teto da Capela Sistina e não o piso? Não seria bem mais fácil?

Senna brilhava na chuva enquanto outros tinham o temor da chuva. Pegava seu Kart e treinava sempre com as piores condições climáticas, enquanto os outros se escondiam para não se molhar!

Michael Jordan escolheu ir treinar em um dos centros de basquete mais difíceis para ser aprovado. Em um dos treinos, ouviu que não servia para ser jogador!

E por fim: Por que Oscar Schmidt optou por defender a Seleção brasileira aos milhões da NBA americana?

Se só talento é suficiente, porque eu, você e tantos outros  conhecemos pessoas talentosas que não chegaram ao sucesso, que não brilharam? Ao olharmos para elas, temos sempre o mesmo sentimento: que desperdício!

Quem não se lembra do jogador Adriano Imperador? Será que o problema dele era talento ou a falta de talento?

O talento, quando não potencializado, pode apenas dar uma vantagem inicial, mas aos poucos vai se perdendo, e pode acabar tornando-se um ponto fraco. Se você parar para pensar ao redor de sua realidade, vai encontrar inúmeros casos semelhantes de pessoas que poderiam ter ido muito além. Uns até chegaram lá, mas não conseguiram sustentar seu sucesso. É um mito pensar que o fato de possuir um talento é garantia permanente da manutenção do sucesso. O maior desafio não é chegar ao sucesso, e sim manter-se lá.

Afinal, o talento de hoje não garante o sucesso do amanhã!

, , , , ,

Quando a máscara do presidente caiu!

Quando a máscara do presidente caiu!

É MINHA VEZ DE FALAR! – disse Márcio (diretor de operações), furioso, a Rogério Rodrigues (CEO). – Você é uma farsa! Uma fraude! Algo que jamais vou querer para meus filhos, um contra exemplo de tudo aquilo que acredito! Se estou pedindo demissão, não é por essa empresa, que me dediquei nos últimos 20 anos até chegar à diretoria de operações. É por descobrir que, nos últimos 20 anos, entreguei o melhor de mim para que o pior de você fosse ainda pior! Seus valores são os de quem paga mais, e honestidade é algo que você só deve ter lido em revistas ou jornais quando seus amigos foram presos por não terem isso!

Rogério, olhando perplexo para aquela situação, permanecia totalmente em silêncio. Ele estava ciente de tudo o que gerava nas pessoas, mas ninguém jamais teve coragem de dar um feedback daquela forma tão direta e tão dura, a ponto dele ficar sem palavras. Afinal, ele era “o todo poderoso”! “O manda chuva”! “O cara que mandava soltar e prender!”

Você que leu o artigo até aqui não deve estar entendendo nada até agora. Por isso, vou reproduzir o que antecedeu essa calorosa discussão.

Márcio nem sempre ocupou esse cargo. Entrou na empresa 20 anos antes. A partir do momento que assistiu uma palestra de Rogério em um evento de uma universidade, ficou profundamente inspirado, motivado, e ali encontrou um mentor.

Após a palestra, imediatamente foi procurar “o grande” Rogério Rodrigues. Disse que a palestra tinha sido sensacional, inspiradora, que tinha mexido com ele a ponto de ir manifestar a vontade de trabalhar em sua empresa. Pouco mais de 1 ano se passou até ele ser chamado para uma entrevista. Após várias tentativas, finalmente foi aprovado.

O jovem promissor fez carreira tendo aquele Rogério Rodrigues como seu mentor, como modelo de comportamentos profissionais e pessoais. Com seu talento, passou a chamar a atenção. Começou a conquistar seu espaço, a subir dentro da organização, e tinha como meta um dia trabalhar lado a lado com o Rogério Rodrigues.

Após 18 anos de seu ingresso na grande empresa, veio o reconhecimento maior. Rogério o chamou e disse que ele seria seu sucessor. A partir de então, precisaria dele de forma integral. Soma-se a isso a promoção para o cargo de Diretor de Operações. Suas atribuições iriam além da esfera profissional, tendo acesso direto ao conselho e à administração de seus bens pessoais. Ficaria sabendo de seus segredos pessoais.

Márcio chegou a ficar preocupado em atender plenamente as expectativas, mas aceitou, sabendo que aquela proposta vinha de seu mentor, modelo, profissional de maior confiança. Só poderia ser coisa boa, não tinha como não aceitar! Dali para frente, a proximidade só iria aumentar. Márcio iria descobrir quem era Rogério de fato.

A primeira descoberta foi em sua primeira viagem à China quando, após um jantar de negócios, Rogério o convidou para uma festa com mulheres, dizendo que era algo comum. Márcio, um homem de fé e princípios, sentiu-se incomodado e não participou, voltando ao hotel.

Semanas depois, em reunião com um político influente, Rogério negociou propina para ganhar vantagem em processos de licitação. Novamente, Márcio assistia, questionando-se o que fazia na mesma mesa que aqueles homens.

Da porta da empresa para fora, Rogério tinha uma imagem de líder modelo. Doava dinheiro para caridade, plantava árvores, dava palestras em universidades, dizia que estava escrevendo um livro, que tinha missão, visão e valores bem definidos e que os vivenciava todos os dias. Da porta de sua sala para dentro, tudo era diferente, humilhando e demitindo funcionários, participando de negócios ilícitos. Somente estando muito próximo para conhecer seu real caráter.

Num determinado dia, aconteceu a gota d´água. Rogério solicitou a Márcio que colocasse um grupo de 10 empresas em seu nome para continuar pagando menos impostos e não configurar um grupo econômico. Márcio foi até o departamento financeiro investigar, e descobriu que ele não seria o primeiro. Era o 11º a passar pela mesma situação. Rogério não possuía nenhum bem em seu próprio nome!

Márcio ligou para cada membro da diretoria, convocou uma reunião extraordinária para as 14:00h do mesmo dia e convocou um fiscal da receita federal.

A reunião não teve formalidade, mas teve seu início pontualmente às 14:00h. Não teve pauta, teve somente o desabafo citado no início deste texto, de um liderado que foi fiel a seus valores, tais como integridade, honestidade e justiça e, acima de qualquer cargo, terminou a reunião da seguinte forma:

– Rogério Rodrigues, você foi o modelo do que queria para minha vida profissional durante 20 anos. Quero que você saiba que continuará sendo o meu modelo, do que NÃO quero ser pelo resto de minha vida. Você é um lixo de líder!

Essa história é baseada em fatos reais. Isso acontece todos os dias, próximo a todos nós, em muitas empresas. Sempre que algo errado é feito, as máscaras caem e a verdadeira identidade aparece. Usar máscaras significa desde vivenciar a história acima a jamais dizer o que realmente pensa sobre as pessoas.

Pense sobre as máscaras que possa estar usando.

, ,

O Foco faz Cada Resultado Valer a Pena

O Foco faz Cada Resultado Valer a Pena

Ao assumir uma área, um líder fez algo inusitado, chamando para uma reunião seus 30 liderados. Até aí, nada anormal, até que ao iniciar a reunião, pediu para que todos fossem para a janela que dava para uma escola primária e anotassem por 25 minutos quais eram as imagens obtidas a partir daquela janela com vista para o playground da escola, onde as crianças brincavam livremente sem parar.

Todas as anotações possuíam a mesma linha, que as crianças brincavam sem parar, mudando a todo instante de brinquedos, pulando de um lado para o outro, correndo, trocando de turmas, amigos e de lugares, sem ficar muito tempo quietas em um mesmo lugar.

Em alguns momentos as crianças brigavam hora sozinhas, hora em turmas, mas sempre se movimentando com uma energia incontrolável.

No último relato, o liderado terminou dizendo que entende porque a sua esposa reclama tanto de juntar a bagunça que seu filho deixa pela casa toda e, portanto, imaginem se fossem 30 crianças!

Para surpresa de todos, aquele líder disse:

“Eu tenho 30 crianças nesta sala, que no último semestre gastaram muita energia e fizeram pouca coisa, não entregando tudo o que prometeram.”

Vou explicar:

Faltou foco, como um passageiro que possuía mala, dinheiro, estava no aeroporto e não sabia para onde estava indo. Ele perde tanto tempo escolhendo possíveis destinos que desperdiça o tempo que poderia ter ido.

A maioria das pessoas concentra suas energias naquilo que não pode ter ou fazer ao invés de focar naquilo que podem fazer hoje e agora.

E conosco não é diferente. Lamentamos pela falta das tecnologias que não tínhamos, da linha que não lançamos, dos clientes que não conquistamos, ao invés de valorizar e potencializar aquilo que já estavam em nossas mãos e principalmente em nosso controle. Poderíamos ter agido mais, ou seja, focado nas cartas que estavam em nossas mãos e não sofrer por aquelas que estavam no monte a serem compradas.

Sei que o foco não vem de uma hora para a outra e é preciso disciplina e praticamente um processo de construção para que ele se torne algo sólido.

Sem foco, você poderá sentir-se esgotado sem sequer ter feito ou realizado algo.

Mas está mais do que claro o que ele pode fazer por nós e por isso crianças, essa 31ª criança vos pede ajuda para colocar esse playground em ordem e trazer o melhor que nós temos hoje, que é serenidade e maturidade de um adulto com aquilo que acabamos de aprender olhando pela janela, observando a energia de uma criança.

Minha ideia é a seguinte:

Vamos pensar em 3 passos e juntos brincar de construir o melhor semestre de nossas vidas:

1º – Vamos rever em nossa equipe o que é movimento e o que é direção, lembrando que movimento é como fazer o caminho mais longo até seu trabalho e direção é ir pelo caminho mais curto. Quais de nossas ações que estão em movimento hoje podemos dar direcionamento?

“Você remove grande parte dos obstáculos ao sucesso quando sabe a diferença entre movimento e direção.” (Bill Coperland)

2º – Para construir uma casa, não adianta o pintor, o pedreiro, o gesseiro ou até o encanador estarem um ao lado do outro brigando para ver quem começará a trabalhar primeiro. Se todos começarem juntos, será um fiasco e a casa não sairá do projeto, portanto, é preciso definir uma ordem de quem será o primeiro, o segundo, o terceiro e em nossa equipe, quais serão os passos e as pessoas envolvidas em cada processo e projeto?

3º – Quando você pensa em comprar um carro, algo engraçado acontece, você passa a notar o mesmo modelo que o seu nas ruas com maior freqüência e o mesmo acontece com mulheres grávidas que passam a notar umas as outras. Imagine isso em uma equipe com um objetivo comum? Eles passam a identificar no outro a mesma capacidade de ampliar o foco, trazendo novas ideias, produzindo ações, inovações e enxergando tudo a sua volta com o mesmo olhar.

“Não deixe que o ontem ocupe grande parte do hoje.” (Will Rogers)

Foque no que é mais importante para você hoje, construindo um enorme sucesso no AMANHÃ!

Faça cada ação valer a pena!