, , , , , , , , ,

Basta uma Palavra

 

Você já parou para pensar sobre o poder de uma palavra? Exatamente neste momento, existem pessoas que estão assim como eu e você neste texto, refletindo sobre suas palavras. Para mim, autor, será que conseguirei agregar valor à sua vida através de minhas palavras? Para você, leitor, o que fará com suas palavras após a leitura? Mas porque palavras?

“As palavras são como moedas: uma pode valer por muitas, e muitas não valer por uma”. (Quevedo)

E quanto valem suas palavras?

Os antigos diziam que uma palavra bastava para selar acordos, contratos e destinos, sem a necessidade de assinaturas ou contratos formais. E hoje, com tantos recursos para garantir o cumprimento de acordos, observamos palavras diferentes de ações. Você deseja ter, de verdade, uma vida em que suas ações digam mais do que suas palavras? Ou prefere que suas palavras expliquem suas ações?

“As palavras verdadeiras não são agradáveis, e as agradáveis não são verdadeiras”. (Lao Tsé)

Em um mundo que cobramos transparência, honestidade e sinceridade através das palavras, existem duas reflexões-chave: você está preparado para ouvir as palavras dos outros com transparência, sinceridade, sem ser reativo? Os outros estão preparados para ouvir suas palavras? Em qual dessas situações você tem controle absoluto? Se você não tem controle sobre os outros, porque então exige que compreendam e pratiquem algo que você mesmo não faz ou está preparado para fazer?

Em minha carreira, certa vez ouvi de um Líder, após alguns feedbacks sinceros, a seguinte frase

– Você quer tapinha nas costas ou quer crescer?

Doeu muito. Esforcei-me para atingir um determinado resultado não conquistado, e foi muito indigesto ouvir aquilo. Internamente, meu sentimento era de revolta. Queria voar no pescoço dele. Refletindo melhor, percebi que, na verdade, estava querendo terceirizar algo que era só meu. Considero aquele dia como um dia igual ao de quando colocamos o fermento na massa de pão. Mesmo com o fermento, é preciso respeitar a ordem dos ingredientes, esticar, amassar a massa e principalmente respeitar o tempo do crescimento.

“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. (Desconhecido)

Muitas vezes, a flecha lançada são nossas conclusões precipitadas, julgamentos parciais, dizendo aos outros o que não gostaríamos que dissessem sobre nós mesmos. Antes do disparo, reflita sobre onde, como e para quem está sendo direcionada essa flechada.

Acredito que um dos maiores desafios do ser humano será sempre o uso das palavras na comunicação. Certamente, já conheceu pessoas que dão a volta ao mundo para chegar a uma conclusão, ou simplesmente não conseguem se fazer entender por não terem as melhores palavras. Isso acontece tanto na vida pessoal quanto na profissional. Existem ainda pessoas que usam aquela frase clássica:

– Eu já te expliquei 10 vezes! Não é possível, quer que eu desenhe?

Um ponto a refletir é que, se você explicou sempre da mesma forma, sem se preocupar em entender sobre a pessoa a sua frente, que ela pode ser diferente de você, não adianta explicar nem 1000 vezes! O resultado sempre será o mesmo.

O uso incorreto, no tempo errado ou com a pessoa errada, gera não só ruídos, mas pode também gerar guerras. Acredite, basta uma palavra para você Motivar, Desmotivar, Aconselhar, Treinar, Desenvolver, Criar, Ajudar, Acelerar, Ensinar, Engajar, Perdoar e principalmente Amar.

E ainda, se após ler esse texto, não tiver clareza do que deve e para quem deve falar, segue uma dica:

“A palavra é prata, o silêncio é ouro.” (Provérbio Chinês)

, , ,

O Verdadeiro Tesouro dentro do Baú!

O Verdadeiro Tesouro dentro do Baú!

No último dia 27 de abril, durante a entrega do troféu imprensa no SBT, Carlos Nascimento, um dos maiores âncoras dentro do jornalismo no Brasil, juntamente com seu Líder Silvio Santos, trouxeram 7 importantes lições sobre Liderança:

1.  As pessoas precisam se sentir importantes na equipe

Silvio destacou que ele não só é extremamente competente como muito querido pelos colegas e público que torcem para sua volta após sua luta contra o câncer.

A importância de um liderado é plenamente destacada nos momentos em que ele bate metas, mas se por um acaso você quer que seu liderado esteja de fato comprometido com seu time, esteja ao lado dele no momento de maior dificuldade.

Todas as pessoas merecem saber onde estão, como podem melhorar e que podem contar com seu Líder.

2.  As pessoas precisam estar bem para fazer o seu melhor

O contrato do jornalista venceu durante sua luta contra o câncer. Porém, para espanto de todos e do próprio Nascimento, 2 meses antes do vencimento, um dos funcionários de Silvio Santos foi ter com ele com um contrato novo, pedindo sua assinatura. Levou um recado direto de Silvio para que Nascimento se cuidasse, que levasse o tempo necessário para sua plena recuperação e que a emissora estava à sua espera.

3.  As pessoas devem focar no que podem fazer hoje

Trabalhe o Foco de seu liderado, mostrando que o que ele pode fazer no momento é diferente do que ele pode fazer em uma vida completa. Focar no que pode ser feito hoje garante que o primeiro passo seja dado, assim como uma casa tem uma ordem correta no caminho de sua construção. Se o pintor, pedreiro, eletricista e encanador entrassem ao mesmo tempo para fazer seu trabalho, a casa não sairia do papel.

4.  Limpar as lentes da visão faz parte do crescimento

Algumas pessoas possuem em suas vidas episódios que as fazem refletir sobre o estágio em que está.

Nascimento destacou que a luta contra o câncer trouxe também uma visão melhor sobre suas atitudes e comportamentos, e o verdadeiro valor das pessoas ao seu redor.

Como estão suas lentes hoje? Tem algo que não está sendo visto ou valorizado como deveria?

5.  É um dever da empresa cuidar do funcionário

Para encurtar a conversa, se uma empresa vive de resultados, quem traz os resultados se não as pessoas? Silvio disse ao jornalista que é uma obrigação cuidar bem dos funcionários.

É mais do que comprovado que o ser humano não possui limites quando quer. Quem coloca limites naquilo que vai fazer, coloca automaticamente naquilo que pode fazer.

Valorizar as pessoas é garantir os resultados!

Silvio, em 1975, custeou todas as despesas médicas do idealizador da Praça da Alegria, Manoel da Nóbrega. Silvio disse a Carlos Alberto de Nóbrega que Manoel da Nóbrega era como seu pai em São Paulo, e aquilo que o dinheiro pudesse comprar naquele momento para ajudar seu pai a se restabelecer seria comprado. Infelizmente, Manoel faleceu 8 meses depois.

Onde está escrito que é obrigação da empresa? Se está escrito, porque nos espantamos ainda com atitudes como as de Silvio e outros Líderes?

Lembre-se de que todo líder deixa uma marca em sua equipe. Que tipo de marca você anda deixando por aí?

6.  O valor da gratidão é intangível

Carlos Alberto, em uma entrevista emocionada, disse que não saiu do SBT para ganhar mais ou para ter mais sucesso devido a ter sempre a consciência tranquila de que estava no lugar certo, tendo como Líder a pessoa certa.

Silvio Santos, por outro lado, disse por telefone a Carlos Alberto que, mesmo morando em São Paulo e Carlos no Rio de Janeiro, fisicamente distantes, seu Pai Manoel da Nóbrega e tudo o que ele representou na vida de Silvio estariam sempre com ele.

Quais são os episódios de gratidão e quem são os mentores merecedores desse nobre sentimento hoje em sua vida?

7.  As pessoas precisam “sair da cama”

Silvio em sua última frase disse:

– “Espero que você volte logo para passar as festas de final de ano com a família SBT. Não fique na cama de pijama porque na cama não acontece nada!”

Desafie-se, saia da inércia, abra seu baú e veja que você tem muito mais ali de dentro do que a esperar daqui de fora.

Sucesso!

, , , , ,

Aceite-se, mude e brilhe!

Aceite-se, mude e brilhe!

Dias atrás, um executivo desempregado acordou e, antes de sair da cama, refletiu:

– Será que não sou bom o suficiente para conseguir algum trabalho? Andei tanto, distribuí currículos, acionei contatos através de redes sociais, mas nada vingou. Será que meu currículo não estava bem formulado? Com certeza, devem existir currículos melhores do que o meu! Bom, vou dormir mais 5 minutos porque estou realmente muito cansado mas, pensando bem, dormir 5 minutos pode ser o tempo de levantar-me, arrumar-me e sair para procurar um novo trabalho. Vamos lá, hoje será diferente!

Ao tomar seu banho, aquele executivo pensou que merecia relaxar um pouco mais. Estendeu seu banho em 15 minutos, questionando-se o tempo todo o quanto deveria ter feito isso. No café, lamentou pelo presunto que tinha acabado e o pão que estava um pouco duro. Ao sair de casa, metrô lotado, novamente veio em sua mente o sentimento de revolta, crítica e questionamento sobre merecer passar por aquilo. A cada dia, os questionamentos só aumentavam:

– Mereço? Posso? Terei? Minha vida vai mudar? Sou bom o suficiente? Devo permitir-me acreditar que as coisas mudarão?

Esse é apenas um exemplo entre muitos. Ao olhar a fundo para a sociedade em que vivemos, encontraremos as respostas e muitas outras perguntas sobre o porquê é tão difícil nos aceitarmos.

A cada dia, novas literaturas surgem com a promessa da equipe perfeita, da família perfeita, do profissional extraordinário ou até das 10 dicas para o sucesso. Assistimos de camarote a ascensão de empresários, naquilo que fizeram para dar certo. Geralmente, não nos interessa as estórias dos que fracassaram. Sofremos por comparar nossas vidas, casamentos, equipes, empresas com uma visão perfeita e inatingível, propagada pelo céu de brigadeiro que existe em nossas mentes, mais do que na dura realidade.

Recentemente, conheci uma executiva que mudou sua maneira de se vestir para estar igual a todas as outras de seu departamento. Assim como um garoto do condomínio, que passou a torcer para outro time para agradar ao pai.

“Não tenho tempo suficiente”, “Não está bom o bastante” ou “Não estamos prontos”. O que de fato então leva milhões de pessoas a serem insatisfeitas e a buscarem freneticamente uma sensação de perfeição? Será que algum dia estaremos plenamente prontos e preparados? De fato essa perfeição existe? Ou tornamo-nos reféns de uma régua muito alta, inatingível e cruel? Seria o medo de ser uma pessoa comum, sem nenhuma contribuição ou atributo especial?

Nisso tudo, uma das certezas é que a coragem de encarar as suas vulnerabilidades, tomar atitudes de mudança comportamental e transformar aprendizados em ações, é um grande passo na mudança desse cenário.

Mas será que o preço de entrar em contato com isso tudo vale à pena?

Para responder a essa provocação, existem duas perguntas que não são fórmulas certas para o sucesso de todos, mas podem ser para o seu sucesso:

1) O que você ganha buscando uma perfeição inexistente, sofrendo pelas coisas que não tem, e lamentando-se pela sua vida de hoje?

2) O que você ganharia se assumisse que possui algumas imperfeições, assim como qualquer ser humano, e que pode brilhar simplesmente melhorando o que é necessário e potencializando o que já é bom?

Será mesmo que o mundo possui só coisas ruins?  Será que você não se faz de vítima olhando só para o lado ruim das coisas ao seu redor?

Aceite-se, mude e brilhe!

, , , , , , ,

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos.

Em uma Segunda Feira pela manhã em São Paulo;

Um motoboy tentava apressadamente passar entre os carros buzinando freneticamente enquanto alguns dos muitos motoristas observam a cena com o mesmo pensamento dizendo para si mesmos como o rapaz era maluco em pilotar daquela maneira!

No mesmo instante em outro ponto da cidade um rapaz tentava entrar em uma agência bancária e travava na porta giratória de segurança tendo de deixar seus pertences no guarda volumes antes de entrar na agência.

Até aí algo absolutamente normal, até que os objetos se esgotam e nada mais restava ao rapaz além de seu dinheiro, o boleto nas mãos, uma fila que não parava de aumentar compostas de pessoas querendo entrar no banco se entreolhando e em um ato de fúria, o mesmo tirou camisa, calça e sapatos, ficando de cueca  proferiu ao segurança:

-E agora? O que falta? Posso entrar?

O segurança e todas as pessoas mediante aquela situação constrangedora pensando que o rapaz era um desequilibrado ou um louco inconsequente chamou imediatamente  a polícia!

No final da manhã, em sua primeira reunião como analista pleno, o Jovem Kevin apresentou erroneamente alguns dados invertendo faturamento e fechamento causando uma reação explosiva em seu chefe:

– Kevin! Você tá testando nossa inteligência?  Isso é despreparo? Ou é burrice mesmo?

Observem que nos três casos existe a presença forte de algo que as pessoas abominam passar por elas mesmas, mas adora fazer outros passarem através de seus olhos, O JULGAMENTO!

JULGAMENTO: Vem do Latim Judicare ( Julgar ) formado por JUS ( Lei,Direito ) + DICERE ( Dizer, Falar ).

Eu fui criado baseado nos valores de que atire a primeira pedra quem não tenha seus pecados ( erros ), então, não julgues para não seres julgados!

Só que o interessante nisso tudo é que no processo para julgar o que as pessoas são, existe uma enorme diferença no que de fato é observado do que realmente é!   A personalidade não é o fator que nos condena e sim osCOMPORTAMENTOS.

Pense bem, se olhar agora para as situações de feedbacks dentro das empresas, o que muitas vezes é pontuado são as situações onde você foi grosso, evasivo, prolixo, mentiroso, incompetente, bom gerente, fora da curva, ou outros adjetivos tanto positivos quanto negativos etc.

Raramente é pontuado os COMPORTAMENTOS que realmente levaram as pessoas a pensarem tudo isso relatado acima e por isso muitas pessoas nem sabem por onde começarem um processo de mudança ou nem desejam mudar pois sentem-se julgadas.

Você gosta de sentir-se julgado?

Será que o motoqueiro era louco mesmo ou estava se comportando naquele momento  como um louco?

Será que o rapaz era um maníaco perigoso e iria roubar e explodir o banco ou teve seu momento de fúria através de alguns comportamentos nada convencionais?

Kevin possuía talento, jovem promissor, estudioso que na véspera teve a notícia do câncer de sua mãe e entrou totalmente nervoso na reunião, temendo falar que não daria conta para seu chefe optando erroneamente conduzir assim mesmo invertendo dados e cometendo erros que geralmente não cometeria em situações normais?

Pense que em todos os lugares existem câmeras tipo e que elas jamais irão filmar sua personalidade e interpretar o quanto sua essência é boa, o que será realmente gravado assim como em uma novela ou filme, é sua ação ou falta de ação pois o fato de não agir muitas vezes é a melhor ação.

Pense nisso!

As pessoas sabem quem vocês são através de seus comportamentos.

, , , , ,

Quando a máscara do presidente caiu!

Quando a máscara do presidente caiu!

É MINHA VEZ DE FALAR! – disse Márcio (diretor de operações), furioso, a Rogério Rodrigues (CEO). – Você é uma farsa! Uma fraude! Algo que jamais vou querer para meus filhos, um contra exemplo de tudo aquilo que acredito! Se estou pedindo demissão, não é por essa empresa, que me dediquei nos últimos 20 anos até chegar à diretoria de operações. É por descobrir que, nos últimos 20 anos, entreguei o melhor de mim para que o pior de você fosse ainda pior! Seus valores são os de quem paga mais, e honestidade é algo que você só deve ter lido em revistas ou jornais quando seus amigos foram presos por não terem isso!

Rogério, olhando perplexo para aquela situação, permanecia totalmente em silêncio. Ele estava ciente de tudo o que gerava nas pessoas, mas ninguém jamais teve coragem de dar um feedback daquela forma tão direta e tão dura, a ponto dele ficar sem palavras. Afinal, ele era “o todo poderoso”! “O manda chuva”! “O cara que mandava soltar e prender!”

Você que leu o artigo até aqui não deve estar entendendo nada até agora. Por isso, vou reproduzir o que antecedeu essa calorosa discussão.

Márcio nem sempre ocupou esse cargo. Entrou na empresa 20 anos antes. A partir do momento que assistiu uma palestra de Rogério em um evento de uma universidade, ficou profundamente inspirado, motivado, e ali encontrou um mentor.

Após a palestra, imediatamente foi procurar “o grande” Rogério Rodrigues. Disse que a palestra tinha sido sensacional, inspiradora, que tinha mexido com ele a ponto de ir manifestar a vontade de trabalhar em sua empresa. Pouco mais de 1 ano se passou até ele ser chamado para uma entrevista. Após várias tentativas, finalmente foi aprovado.

O jovem promissor fez carreira tendo aquele Rogério Rodrigues como seu mentor, como modelo de comportamentos profissionais e pessoais. Com seu talento, passou a chamar a atenção. Começou a conquistar seu espaço, a subir dentro da organização, e tinha como meta um dia trabalhar lado a lado com o Rogério Rodrigues.

Após 18 anos de seu ingresso na grande empresa, veio o reconhecimento maior. Rogério o chamou e disse que ele seria seu sucessor. A partir de então, precisaria dele de forma integral. Soma-se a isso a promoção para o cargo de Diretor de Operações. Suas atribuições iriam além da esfera profissional, tendo acesso direto ao conselho e à administração de seus bens pessoais. Ficaria sabendo de seus segredos pessoais.

Márcio chegou a ficar preocupado em atender plenamente as expectativas, mas aceitou, sabendo que aquela proposta vinha de seu mentor, modelo, profissional de maior confiança. Só poderia ser coisa boa, não tinha como não aceitar! Dali para frente, a proximidade só iria aumentar. Márcio iria descobrir quem era Rogério de fato.

A primeira descoberta foi em sua primeira viagem à China quando, após um jantar de negócios, Rogério o convidou para uma festa com mulheres, dizendo que era algo comum. Márcio, um homem de fé e princípios, sentiu-se incomodado e não participou, voltando ao hotel.

Semanas depois, em reunião com um político influente, Rogério negociou propina para ganhar vantagem em processos de licitação. Novamente, Márcio assistia, questionando-se o que fazia na mesma mesa que aqueles homens.

Da porta da empresa para fora, Rogério tinha uma imagem de líder modelo. Doava dinheiro para caridade, plantava árvores, dava palestras em universidades, dizia que estava escrevendo um livro, que tinha missão, visão e valores bem definidos e que os vivenciava todos os dias. Da porta de sua sala para dentro, tudo era diferente, humilhando e demitindo funcionários, participando de negócios ilícitos. Somente estando muito próximo para conhecer seu real caráter.

Num determinado dia, aconteceu a gota d´água. Rogério solicitou a Márcio que colocasse um grupo de 10 empresas em seu nome para continuar pagando menos impostos e não configurar um grupo econômico. Márcio foi até o departamento financeiro investigar, e descobriu que ele não seria o primeiro. Era o 11º a passar pela mesma situação. Rogério não possuía nenhum bem em seu próprio nome!

Márcio ligou para cada membro da diretoria, convocou uma reunião extraordinária para as 14:00h do mesmo dia e convocou um fiscal da receita federal.

A reunião não teve formalidade, mas teve seu início pontualmente às 14:00h. Não teve pauta, teve somente o desabafo citado no início deste texto, de um liderado que foi fiel a seus valores, tais como integridade, honestidade e justiça e, acima de qualquer cargo, terminou a reunião da seguinte forma:

– Rogério Rodrigues, você foi o modelo do que queria para minha vida profissional durante 20 anos. Quero que você saiba que continuará sendo o meu modelo, do que NÃO quero ser pelo resto de minha vida. Você é um lixo de líder!

Essa história é baseada em fatos reais. Isso acontece todos os dias, próximo a todos nós, em muitas empresas. Sempre que algo errado é feito, as máscaras caem e a verdadeira identidade aparece. Usar máscaras significa desde vivenciar a história acima a jamais dizer o que realmente pensa sobre as pessoas.

Pense sobre as máscaras que possa estar usando.

, , , , , ,

As Pontes da Liderança

As pontes da Liderança

É imensurável o valor das pessoas que possuem o talento de construir pontes com outras pessoas, outras áreas e até entre empresas. Chamamos isso de Capacidade de criar relacionamentos, e essas pessoas fazem isso com naturalidade.

Esse talento as coloca em um patamar onde elas conseguem levar as pessoas que as rodeiam a compartilhar de sua alegria, entusiasmo e de um fator extremamente importante: “Empatia”. Sabem se colocar no lugar dos outros e valorizam as pessoas de modo que as pessoas possuam certa gratidão com elas por terem feito parte em algum momento de suas jornadas.

Transformam o ambiente de tal forma que se tornam candidatos ao troféu de Influenciadores do Ano, por cativar pessoas e serem queridos e terem portas abertas por todos os lugares por onde passam.

Ninguém faz sucesso sozinho e, baseado nessa premissa, eles partem para fazerem associações e parcerias para que tudo aconteça e principalmente buscam quem complemente aquilo que eles não possuam ou possuem parcialmente como talentos ou conhecimentos.

Neste momento, olhe para sua rede de contatos e faça um balanço de quem você conhecia 1 ano atrás e quantos acrescentou em sua rede até hoje e quantos mantém contato verdadeiro hoje?

Vamos levar para o campo da Liderança uma vez que esse grande tema tem como uma de suas principais definições, a capacidade de influenciar pessoas e certamente, construir pontes é de certa forma, ligar um ponto a outro.

Encontramos uma situação alarmante. Líderes acabam permitindo que o ambiente de pressão por metas, projetos e resultados dominem totalmente seu gerenciamento inexistente de tempo e ofusquem  sua capacidade de ter tempo para estabelecer conectividade com as pessoas de suas próprias equipes e com isso acabam por não conhecerem seus liderados tendo um relacionamento bem superficial com eles.

Isso com o tempo cria o que chamamos de pontes feitas de madeiras construídas às pressas e sem o devido projeto  que a qualquer momento ao distanciamento de seu liderado, uma forte tempestade pode vir e derrubar essa ponte sem que esse líder se dê conta de quando começaram os primeiros sinais de nebulosidade e as primeiras gotas de chuva.

Se o Líder não cuida das pontes de sua própria equipe, imagine da ponte entre áreas, entre empresas e entre as tendências de mercado fora dos muros de sua empresa?

É preciso corrigir o que está no seu controle como sua habilidade de lidar com sua equipe do que querer buscar ter contato com o que está no outro lado da ponte.

Existe ainda quem diga que o relacionamento interpessoal funciona exatamente como o processo de vendas onde você precisa sempre estar atento para não perder o cliente, fazendo com que ele mantenha a fidelidade superando suas expectativas sempre.

Se isso é verdade ou não, eu já não sei e por isso irei convidá-los a descobrir comigo!

Vamos focar nesse simples exercício, filtrar somente em sua equipe ou nas pessoas mais próximas:

Primeiro, liste quais são as pessoas de sua equipe listando em ordem de proximidade com você através de um ranqueamento:

1:_______________2:______________3:______________4:_______________

5:_______________6:______________7:______________8:_______________

Agora, faça uma lista com essas mesmas pessoas inserindo ao lado do nome de cada uma o quanto e o por quê cada uma é importante para você?

Em seguida, cite como você está mantendo contato hoje e com qual frequência;

Qual será a ação para você surpreendê-la e mostrá-la o quanto ela é importante para você?

Qual será seu plano para manter uma sequência de follow up e não perder contato, lembrando que quem não é visto não é recordado.

Lembre-se que aqueles que estão mais distantes são os que podem nos desenvolver mais em nossas habilidades de criar relacionamentos, pois com certeza possuem características mais distintas comparadas as nossas.

As pontes que construímos nos levam a lugares bem maiores do que as margens do outro lado do rio levam ao coração das pessoas.

 

, , , ,

Seja o Líder de sua Motivação!

Seja o Líder de sua Motivação!

Vivemos em um mundo extremamente competitivo. Uma das frases mais presentes dentro de grandes organizações é: “Faça mais com menos”. Outras como “lidere já”, “não espere”, “seja proativo, criativo”, sugerem competências mínimas esperadas. Somos instigados a correr atrás de metas ousadas e mega desafiadoras, uma vez que, diariamente, surgem novos competidores, buscando suas fatias do grande bolo chamado mercado.

Até aí nenhuma novidade. Contudo, o que faz as pessoas se motivarem? O que leva um ser humano a, de fato, ter um propósito para a ação, ou encontrar em algo o valor que desperte sua motivação?

Imagine, por exemplo, em uma área técnica de informática, uma pessoa extremamente motivada. Sem o menor conhecimento, será que só a motivação adianta?

Hoje, vou mostrar que existem dois grupos de pessoas compostos de fatores motivacionais, que servem como fontes inspiradoras para pessoas atingirem resultados extraordinários ou então see perderem em sua jornada.

Ao primeiro grupo de fatores motivacionais, podemos chamar de Internos e suas características marcantes são:

Crescimento pessoal, satisfação em fazer um bom trabalho, ajudar os outros e desenvolver pessoas, encontrar propósito em seu trabalho, agir de acordo com seus valores e fazer a diferença no mundo.

Só que o foco deste artigo não está relacionado ao primeiro grupo e sim aos perigos de não buscá-lo.

O segundo grupo de fatores motivacionais, Externos, possui como características:

Competências financeiras, poder, título ou cargo, reconhecimento, status e ganhar dos outros.

Muitas pessoas ficam tão obcecadas em buscar esse segundo grupo de fatores motivacionais que negligenciam o primeiro grupo, quase que passando por cima de seus valores, acabam entrando em um formato de piloto automático. Assim, perdem o contato com sua essência e criam em muitos casos um personagem de si mesmo que foca em coisas finitas, construindo uma vida vazia.

Algumas características que podem estar presentes nas pessoas que buscam incansavelmente esses fatores:

  •   Centrados em suas carreiras, consideram-se o centro do universo;
  •   Cercam-se de pessoas que os bajulam;
  •   Raramente possuem tempo para as pessoas;
  •   Sono ou exercícios físicos são supérfluos, tornando-se workaholics;
  •    Mudam rapidamente de emprego e seus erros como líder não aparecem devido ao tempo;
  •    Sob estresse, tomam decisões irracionais.

Os dois grupos trabalhados juntos podem trazer resultados grandiosos. O primeiro pode ser o responsável por encontrar o real propósito, e o segundo em ser a consequência natural de potencializar seus talentos, colocando sua paixão naquilo que faz. Porém, se trabalhados separadamente, podemos ter pessoas com perspectivas bem distintas, buscando contrapontos.

Uma das tarefas mais interessantes é listar todas as palavras dos dois grupos e ver quais delas têm mais a ver com o tipo de ser humano que você quer ser. Sendo assim, não só garantirá um equilíbrio como também uma plena autenticidade dos seus valores.

         Não alinhar suas razões motivacionais é como ganhar na loteria e não estar preparado para administrar o prêmio.

Você ficará mais pobre no final do que quando receber o prêmio.

, , , , , , , , ,

Não deixe para segunda-feira o que você pode iniciar hoje!

Não deixe para segunda-feira o que você pode iniciar hoje!

O editor de um grande jornal mandou um de seus repórteres cobrir um jogo de futebol que aconteceria na cidade naquela noite e era de grande importância, pois tratava-se do líder do campeonato disputando contra o segundo colocado.

Na manhã seguinte o editor imediatamente perguntou o que aconteceu no jogo, onde estavam as imagens, os ‘takes’ e chamadas com os melhores momentos.

O repórter respondeu de forma direta:

– Nada! Não temos material algum! Não teve jogo!

O estádio caiu, teve um baita tumulto, muitos feridos, ambulância para todos os lados, cenário de guerra como jamais vi!

– E você não cobriu a tragédia? – perguntou o editor.

– Não era para cobrir o jogo? – respondeu o repórter.

Esse exemplo acima é apenas um em muitos que revela o quanto as pessoas, todos os dias, em variadas situações não colocam um dos mais importantes ingredientes do sucesso em prática:

“Iniciativa”

Em sua essência podemos encontrar algumas definições como: a capacidade de agir por si mesmo, sem necessidade de ordens superiores ou ação de quem é o primeiro a propor ou a empreender algo.

Abaixo, observe algumas lições sobre Iniciativa e após a leitura coloque seus planos em ação, tome vergonha e principalmente não espere a próxima segunda-feira, comece hoje sua nova história vivenciando uma nova jornada!

A importância do primeiro passo

Uma das características das pessoas que possuem iniciativa é sua capacidade de dar o primeiro passo e entrar em novos projetos experimentando novos ares. Só que, antes de tudo, isso exige uma ação extremamente importante chamada primeiro passo e, sem ele, é impossível começar algo uma vez que só depende de você.

Uma das ferramentas que gosto muito são as perguntas e os processos de Coaching, pois sempre conduzem para uma ação fazendo as pessoas pensarem e não para discutirem a relação em discussões sem fim. Uma das perguntas mais simples e poderosas no Coaching é “o que você pode fazer de diferente hoje para colocar suas metas em prática que ainda não tenha feito?”.

Qual será o primeiro passo?

Muitos se esquivam do primeiro passo por ter um forte sentimento de insegurança cultivado dentro de si e com isso perdem grandes oportunidades.

Ajudá-los a enxergar e a refletir sobre a importância do primeiro passo pode ajudá-los muito no processo de desenvolvimento.

Oportunidade é perecível

Enquanto muitas pessoas lamentam pelos diversos “Se” (s) de suas vidas outros aproveitam das oportunidades que surgem no tempo, estando a pessoa certa com a preparação certa no lugar certo, portanto reflita:

Olhando para sua vida pessoal e profissional analise e responda os tópicos a seguir considerando as diferentes áreas de sua vida:

  • Uma decisão que precisa tomar;
  • Um problema que precisa resolver;
  • Um livro que começará a ler para se desenvolver;
  • Uma possibilidade que deveria examinar;
  • Um sonho que pode realizar;
  • Uma comida que deveria experimentar;
  • Um lugar que pode conhecer;
  • Alguém que poderia dar mais atenção;
  • Alguém que deveria procurar e pedir perdão;
  • Alguém que deveria procurar e agradecer.
  • Caso pense e não faça nada, serás como uma pessoa que compra a passagem e fica na plataforma vendo o trem partir.
  • É o que você vai fazer a partir de amanhã?

Muitos preferem iniciar seus planos de ação as segundas, já que tradicionalmente é o primeiro dia da semana. Para que esperar até lá se nós somos mais importantes do que qualquer segunda-feira.

Não comece nem amanhã o que você pode…

Viver, hoje!

, , , , , , , , ,

Duvide de seus planos, mas não duvide de sua Paixão!

Duvide de seus planos, mas não duvide de sua Paixão!

Você já parou para pensar no que uma pessoa apaixonada é capaz de fazer?

A paixão cria fogo, logo é algo incomum. Ela gera energia suficiente deixando as pessoas mais energizadas. As pessoas apaixonadas assumem maiores riscos, encaram desafios que não encarariam normalmente, têm uma força e, principalmente, uma resiliência das quais elas não imaginam sua fonte, a não ser sua mais profunda paixão.

Numa aula de MBA, em 2005, quando Paulo Alvarenga (P.A.) abordou o tema “missão, visão e valores”: O que você quer para sua vida? Como você quer ser reconhecido pelas pessoas? Como você quer impactar o mundo? A cada nova provocação eu olhava para minha carreira e vida pessoal até então e via que não estava feliz, fazia parte de um grupo que buscava ter um emprego ao invés de fazer o que amava.

Estava entediado, frustrado, perdido mesmo e naquele dia descobri, após muitas provocações, minha mais nova paixão: desenvolver pessoas. Inspirar e despertar o sonho nas pessoas como o P.A. fizera comigo. Após aquela aula de MBA, uma paixão me ajudaria a enfrentar não só uma longa transição de carreira, mas entrar de vez em uma jornada estreita chamada caminho da felicidade.

Em um dos muitos episódios posteriores, estava quase sem dinheiro em casa e tive de ir a feira livre comprar batata, tomates e outras coisas pequenas, lembro-me que tinha que esperar a famosa hora da “Xepa” ou do famoso tudo por R$ 1.00, pois tinha apenas R$ 4,00 no bolso.

Imediatamente vinha a minha cabeça questionamentos sobre o que eu estava fazendo correndo atrás de um sonho de desenvolver pessoas, sendo que a cada dia a situação financeira apertava mais e mais. Eu ficava triste tendo de comprar 2 batatas, 3 tomates e assim por diante…. me questionando com Deus se estava no caminho certo, olhava para minha esposa que estava bancando e levando a casa nas costas enquanto eu corria atrás de minha paixão!

Qual o valor disso? Será que a missão paga a conta mesmo?

Por que tem que ser assim?

Isso era certo?

Era justo com ela?

Estávamos com uma filha pequena!

Em 2009, estava no meu primeiro ano na Crescimentum, bem no olho do furacão da crise financeira período no qual todos estavam apertando os cintos, e liguei várias vezes para ela chorando e dizendo que iria voltar para Mogi e retomar minha profissão de Professor.

Ela respondia que eu deveria seguir minha paixão de desenvolver pessoas, ela apostava em mim, dizia que tudo daria certo e que eu era sua bolsa de valores e em algum momento as coisas iriam acontecer.

Ela estava totalmente certa.

Eu segui meu coração!

Um estudo realizado ao longo de 20 anos, com 1.500 pessoas revelou algo impressionante:

Inicialmente o grupo fora dividido em A e B, A ficou com 83% dos participantes que estavam iniciando suas carreiras com base no conceito de ganhar dinheiro no presente para fazerem o que realmente gostassem no futuro.

O Grupo B, formado pelos outros 17% que escolheram sua trajetória profissional com base no que realmente os faria felizes no momento presente e o dinheiro seria uma consequência natural.

Ao final de 20 anos, o estudo chegou ao resultado impressionante de 101 milionários com condições de vida invejável, sucesso, reconhecimento e principalmente felicidade. O maior detalhe da pesquisa ficou em apenas um ponto:

DOS 101 MILIONÁRIOS, 100 ERAM DO GRUPO B!

Após ler esse estudo a pergunta que faço a você é:

Você tem paixão pelo que faz?

Em uma escala de 0 a 10, como está a sua paixão hoje pelo seu trabalho?

Pela sua vida pessoal?

Com base em suas respostas anteriores, o que você precisa fazer para chegar ao 10?

Se tiver Paixão com certeza terá mais chances de ir mais longe e atingir o auge da Felicidade!

, , , , , , ,

Todos Temos o Talento de Acreditar que não Temos Talentos

TODOS TEMOS O TALENTO DE ACREDITAR QUE NÃO TEMOS TALENTOS.

Ficamos admirados com pessoas como Lionel Messi, Silvio Santos, Nelson Mandela, Bernardinho, Ray Charles, Michael Jordan e muitos outros, costumamos dizer que todos eles possuem algo em comum: TALENTO!

Mas será que realmente ter TALENTO garante a você o sucesso desejado?

“Tenha sucesso e sempre haverá tolos para dizer que você tem talento.” (Édouard Pailleron )

Essa confusão é comum e faz com que muitas pessoas associem sucesso a TALENTO, só que uma coisa não está necessariamente ligada à outra, uma vez que eu e você com certeza conhecemos muitas pessoas que o possui e jamais chegaram ao sucesso.

“O amigo de um amigo meu” é um cara de muito TALENTO, ele sabe trabalhar como pintor, pedreiro, gesseiro, eletricista, encanador, praticamente um faz tudo. Cobra um preço justo com qualidade garantida. Contudo, ele possui um problema que ofusca esse talento: ele não cumpre prazos; promete algo pronto em três dias e no terceiro dia não o cumpre. Isso porquê ele acumula trabalhos das semanas anteriores que ainda não concluiu e frequentemente assume outras tarefas e não dá conta de nenhuma.  Ou seja, ele não entrega o que prometeu na semana passada, nem o que prometeu para amanhã, acumula tarefas e não entrega totalmente nem um e muito menos os outros.

Outro exemplo, é Adriano “O Imperador”, jogador de futebol internacionalmente reconhecido por seus gols e seus questionáveis comportamentos extracampo. Hoje sem clube, mas com TALENTO.

Qual seria então seu maior problema em voltar a brilhar?

Gosto muito da definição que TALENTO, te dá uma vantagem inicial e que você precisa continuar a trabalhar nele para que essa vantagem não se perca ao longo de sua jornada. O caminho mais difícil do sucesso é o de continuar a mantê-lo.

Algumas pessoas se apoiam totalmente em seus talentos e acreditam que somente eles as conduzirão aos patamares de sucessos desejados.

O que separa a pessoa talentosa da bem sucedida é o trabalho duro escondido por trás desse TALENTO. É quando se entende como pode desenvolvê-los e faz a importante  escolha de trabalhá-los para atingir alta performance.

O preço desta conquista pode não ser baixo, mas o fruto pode potencializar uma atitude que pode fazer a diferença entre 10 ou entre 10.000 profissionais, cabendo a escolha para você.

Abrindo o Baú de Talentos:

a)      Se for verdade que todos nós temos talentos, quais são os seus maiores talentos?

Se tiver dificuldades, pergunte para 5 pessoas próximas quais são seus maiores talentos.

b)      É comum pessoas focarem a maior parte de seu tempo para desenvolverem seus pontos fracos!

Quando refere-se a questões de atitude e caráter a discussão caminha para um lado e quando há o ponto fraco refere-se a Habilidades, a reflexão que quero que você faça é a seguinte:

Em uma escala de 0 a 10, é comum uma pessoa trabalhar duro e subir 2 ou até 3 pontos de acordo com o John C. Maxwell em seu Livro ” Talento não é Tudo”.

Vou exemplificar: Em uma habilidade como Organização, tendo uma nota 4 em sua avaliação de performance, com muito esforço, plano de ação e Coaching essa pessoa poderá aumentar sua avaliação para uma nota entre 6 ou 7, de acordo com John C. Maxwell.

A pergunta e Reflexão é: Porque não investir mais tempo nos pontos fortes como Criatividade ou Comunicação que ela possui nota 8 e pode chegar a 9 ou até 10?

A maioria das pessoas busca desenvolver os TALENTOS que não possui para tentar ser alguém que não é! ( Anônimo )

Qual é a nota dos seus talentos hoje?

Qual seria a nota ideal dos seus talentos?

O que você fará para maximizar seus talentos começando hoje?

 

c)       O Seu Talento Maximizado começa pelo começo:

A primeira coisa que você deve fazer para desenvolver seus TALENTOS, é acreditar que você tem TALENTOS!

Como você quer que o mundo perceba seus TALENTOS?

Se você descobrir essa resposta, me conte!